Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração

 

  • Solenidade, Cor Branca , Gl, Cr, Prefácio Próprio
  • Ofício Solene próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Os 11,1.3-4.8c-9)
  • Salmo – (Is 12,2-6)
  • 2ª Leitura – (Ef 3,8-12.14-19)
  • Evangelho – (Jo 19,31-37)

 

INTROITOEis os pensamentos do seu Coração, que permanecem ao longo das gerações: libertar da morte todos os homens e conservar-lhes a vida em tempo de penúria.

COMUNHÃO: Um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança, e logo correram sangue e água.

 A SOLENIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS SERÁ CELEBRADA NESTA SEXTA-FEIRA, 12/06, ÀS 7:00 E ÀS 19:30, NA PARÓQUIA NOSSA SENHORA AUXILIADORA. 

—————————————————————————————————————————————————————–

Celebramos o Sagrado Coração de Jesus, nesta sexta-feira. Esta solenidade possui data móvel, isto é, que depende do dia da Páscoa do ano litúrgico corrente, para ser calculada. De fato, Pentecostes,o último dia do Tempo Pascal, está fixado  50 dias depois da Vigília Pascal. Na semana seguinte a Pentecostes, ocorre a primeira das solenidades móveis: Santíssima Trindade. Na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, celebramos Corpus Christi. Na sexta-feira da semana posterior à Corpus Christi, celebramos o Sagrado Coração de Jesus.

Esta solenidade, portanto, é uma das 3 solenidades móveis do Senhor Jesus no Tempo Comum e uma das 4 solenidades do Senhor no Tempo Comum, quando acrescentamos Cristo Rei (último domingo comum). Nesta data, são feitas duas leituras, um salmo e o Evangelho. A cor litúrgica é branca, canta-se o Hino de Louvor e o Aleluia na aclamação e é rezado o Prefácio Próprio do Coração de Jesus. Esta solenidade sempre substituirá a liturgia do dia, como ocorre com Corpus Christi (ficou no lugar da Quinta-feira da 9ª Semana Comum) e Santíssima Trindade (ficou no lugar do 9º Domingo Comum).

As Solenidades do Senhor no Tempo Comum (Santíssima Trindade, Corpus Christi, Sagrado Coração de Jesus e Cristo Rei) são as maiores liturgias deste período. Ficam atrás, apenas, das liturgias centrais dos Ciclos do Natal e da Páscoa: Vigília Pascal, Natal, Ceia do Senhor, Paixão e Morte do Senhor, Epifania do Senhor, Ascensão do Senhor, Pentecostes, Domingos do Advento, Domingos da Quaresma e Domingos do Tempo Pascal.

 Devoção ao Sagrado Coração de Jesus

Desde o início do cristianismo, os pais da Igreja já faziam referência do Amor de Jesus Cristo pela humanidade. Os elementos do Sangue e da Água, jorrados após a morte de Cristo, quando é transpassado pela lança de São Longino, são símbolos deste amor pelos seres humanos. Durante a Idade Média, os cristãos começaram a considerar este sentimento, como modelo para toda a humanidade imitar.

Em 1670 foi introduzida a primeira festa,São João Eudes, em honra à devoção, já estabelecida na Idade Média, ao Sagrado Coração de Jesus. Em 1673, Santa Margarida Maria de Alocoque trouxe diversas revelações místicas a público, popularizando, ainda mais, a devoção ao Sagrado Coração. Com o tempo, foi instituído um grupo apostólico de devotos, que se espalhou por todas as nações pelo mundo, no que se tornou um dos grupos mais influentes da Igreja Católica, o Apostolado de Oração.

Antes de se tornar uma grande Solenidade, esta devoção foi atacada por outros grupos católicos e suprimida pelos Jesuítas de sua liturgia,em 1773. Nações europeias também proibiram imagens e livros sobre o Coração de Jesus. Somente no ano de 1856, o Papa Pio IX expandiu esta liturgia como liturgia de observação obrigatória, para toda a Igreja.

Por Thiago – Cantinho da Liturgia – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

SOLENIDADES DO SENHOR NO TEMPO COMUM

O Tempo Comum é marcado pelo ministério apostólico e o espalhamento dos ensinamentos de Jesus ao mundo, guiados pelo Espírito Santo. Após celebrarmos os grandes ciclos do Natal e da Páscoa, os domingos comuns possuem a maior importância do ano litúrgico, exceto sobre certas ocasiões solenes.

No Tempo Comum, celebramos 4 solenidades do Senhor, que são as datas mais importantes deste período (tanto a primeira parte quanto a segunda parte do Tempo Comum). São elas:

– Solenidade da Santíssima Trindade (data móvel – no domingo seguinte à Pentecostes (Tempo Pascal) )

– Solenidade de Corpus Christi (data móvel – na quinta-feira seguinte à Santíssima Trindade)

– Solenidade do Sagrado Coração de Jesus (data móvel – na sexta-feira da semana seguinte à Corpus Christi)

– Solenidade de Cristo Rei (5 domingos antes do Natal do Senhor  do próximo ano litúrgico)

Ao lado da solenidade do Sagrado Coração, temos as outras duas celebrações, cujas datas são calculadas pelo dia da Páscoa. São elas: Santíssima Trindade (já celebrada, no domingo, 31/05) e Corpus Christi (já celebrada, na quinta-feira, 4/06) . A última das Solenidades do Senhor é Cristo Rei, que finaliza os domingos do Tempo Comum. Esta solenidade não depende, exclusivamente do dia da Páscoa, mas depende também do dia da semana em que ocorrer o Natal do ano litúrgico seguinte, isto é 25/12/2015.

 PARA SABER MAIS SOBRE O TEMPO COMUM, SUAS NORMAS LITÚRGICAS E CALENDÁRIO, CLIQUE NA IMAGEM:

prop

—————————————————————————————————————————————————————–

  • Solenidade, Cor Branca , Gl, Cr, Prefácio Próprio
  • Ofício Solene próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Os 11,1.3-4.8c-9)
  • Salmo – (Is 12,2-6)
  • 2ª Leitura – (Ef 3,8-12.14-19)
  • Evangelho – (Jo 19,31-37)

 

1ª Leitura

Leitura do Profeta Oseias.

Assim diz o Senhor: 1“Quando Israel era criança, eu já o amava, e desde o Egito chamei meu filho. 3Ensinei Efraim a dar os primeiros passos, tomei-o em meus braços, mas eles não reconheceram que eu cuidava deles. 4Eu os atraía com laços de humanidade, com laços de amor; era para eles como quem leva uma criança ao colo, e rebaixava-me a dar-lhes de comer.

8cMeu coração comove-se no íntimo e arde de compaixão. 9Não darei largas à minha ira, não voltarei a destruir Efraim, eu sou Deus, e não homem; o santo no meio de vós, e não me servirei do terror”.

Salmo

— Com alegria bebereis do manancial da salvação.

 — Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. Com alegria bebereis do manancial da salvação.

— E direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor, invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas, entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime.

— Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!”

2ª Leitura

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 8eu, que sou o último de todos os santos, recebi esta graça de anunciar aos pagãos a insondável riqueza de Cristo 9e de mostrar a todos como Deus realiza o mistério escondido nele, o criador do universo.

10Assim, doravante, as autoridades e poderes nos céus conhecem, graças à Igreja, a multiforme sabedoria de Deus,11de acordo com o desígnio eterno que ele executou em Jesus Cristo, nosso Senhor. 12Em Cristo nós temos, pela fé nele, a liberdade de nos aproximarmos de Deus com toda a confiança. 14É por isso que dobro os joelhos diante do Pai, 15de quem toda e qualquer família recebe seu nome, no céu e sobre a terra. 16Que ele vos conceda, segundo a riqueza da sua glória, serdes robustecidos, por seu Espírito, quanto ao homem interior; 17que ele faça habitar, pela fé, Cristo em vossos corações, e que estejais enraizados e fundados no amor. 18Tereis assim a capacidade de compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade, 19e de conhecer o amor de Cristo, que ultrapassa todo conhecimento, a fim de que sejais cumulados até receber toda a plenitude de Deus.

Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia

V.Por amor, Deus enviou o seu Filho Unigênito, como propiciação pelos nossos pecados. R

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz.

32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

35Aquele que viu, dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. 36Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: “Não quebrarão nenhum de seus ossos”. 37E outra Escritura ainda diz: Olharão para aquele que transpassaram”.

Deixe o seu comentário





[bws_google_captcha]

* campos obrigatórios.