Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

PENTECOSTES

preparação_pentecostes

 

  • 1ª Leitura – (At 2,1-11)
  • Salmo – Salmo 103
  • 2ª Leitura – (1Cor 12,3b-7.12-13)
  • Evangelho – (Jo 20,19-23)

 

  •  Celebramos a Solenidade de Pentecostes neste dia 24/05, nas missas às 7:00, 8:30, 10:30 e 17:00 (não haverá missa às 19:00 neste domingo), na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. Na missa das 17:00, ocorrerá a cerimônia da queima das cartas com intenções, por ocasião do dia de Nossa Senhora Auxiliadora. Após a missa, ocorre a Procissão e coroação.

Liturgia

A cor litúrgica é o vermelho, simbolizando o fogo descido dos céus (o vermelho também é usado na Paixão do Senhor, Domingo de Ramos, Exaltação da Santa Cruz, e memórias e festas dos mártires, simbolizando o sangue derramado em prol da fé). Há duas leituras, o salmo e o Evangelho. É obrigatório fazer a leitura (de preferência o cântico) do Gradual (ou sequência), como na Missa do Dia da Páscoa. O Hino de Louvor e o Aleluia são entoados solenemente. Ao final da celebração, ocorre a cerimônia de apagamento do Círio Pascal, que será utilizado novamente em missas, no Natal do próximo ano litúrgico. Esta é a última missa do Tempo Pascal e é uma das Solenidades do Senhor, mas não é uma Solenidade de Jesus Cristo.

Pentecostes é uma das liturgias anuais que possui Missa da Vigília, celebrada na véspera de seu domingo (outras missas são: Natal, Páscoa, Assunção de Nossa Senhora, Natividade de João Batista, Pedro e Paulo, entre outras). Com exceção do Natal (Missa da Noite, não a missa da Vigília) e da Páscoa (Vigília Pascal), não é costume, no Brasil, celebrar-se as vigílias destas missas, incluindo Pentecostes.

Em termos de grau litúrgico, Pentecostes é uma das maiores solenidades do ano, atrás apenas de: Vigília Pascal, Natal, Ceia do Senhor, Paixão do Senhor e Epifania do Senhor. Pentecostes equipare-se com a Ascensão do Senhor, à qual está ligada liturgicamente e teologicamente. Pentecostes supera os domingos do Advento, da Quaresma e da Páscoa, as solenidades e festas do Tempo Comum, as festas do Tempo do Natal e outras solenidades que ocorrem em outros tempos, como por exemplo: São José e Imaculada.

 Pentecostes e os 50 dias depois da Ressurreição

Maria e o Espírito Santo

Pentecostes tem sua origem em uma antiga tradição judaica, de celebrar a colheita e agradecer a Deus pelo alimento daquele ciclo agrícola, 50 dias depois da Páscoa.

Esta festa remonta à formação do povo judeu, como identidade étnico-cultural. Após o cativeiro babilônico, o povo judeu passou por um processo de helenização, devido às conquistas de Alexandre o Grande, e muitos adotaram a língua grega como idioma, pois esta era a língua franca no mundo mediterrâneo da época. A Festa da colheita passou a ser chamada de “Pentekosté”, palavra grega que significa “50º”, utilizada para descrever em quantos dias depois da Páscoa judaica, ela ocorria.

A Solenidade cristão coincidiu com a Festa da Colheita. Foi naquela data, que Nossa Senhora e os discípulos receberam o Espírito Santo, no episódio sobrenatural das línguas de fogo, narrado nos Atos dos Apóstolos. O Evangelho nos mostra Jesus, logo após sua Ressurreição, soprando o Espírito Santo sobre eles, como uma promessa do dia de Pentecostes. Após a Ascensão, não há mais aparições físicas de Jesus aos discípulos, por isso, recordamos suas palavras anteriores à Ascensão.

A Ascensão e Pentecostes encerram o Tempo Pascal histórico e litúrgico. A partir daqui, os discípulos conduzem a Igreja, sob guarda do Espírito Santo, o Defensor. Além da presença de Deus pela Terceira Pessoa da Trindade, a eucaristia é o outro modo pelo qual Deus se mantém entre nós, através do Cristo Ressuscitado, todas as vezes em que uma missa é celebrada.

Todo o mistério de nossa salvação, (Encarnação, Nascimento e Manifestação de Jesus) (Natal) e (Paixão, Morte e Ressurreição) (Páscoa), são concluídos com esta solenidade. Iniciamos o ano litúrgico no Advento, passamos pelo Natal, celebramos a Quaresma e a Paixão do Senhor, chegamos à Páscoa, até atingirmos Pentecostes. Entre o Natal e a Quaresma, a liturgia nos leva a conhecer os primeiros momentos do ministério de Jesus, agora, a partir do dia 25/05, iniciamos a outra etapa do Tempo Comum, em que prosseguimos com seus ensinamentos e celebraremos todos os mistérios dos ciclos anteriores, com as solenidades e festas deste período.

Por Thiago – Cantinho da Liturgia

—————————————————————————————————————————————————————–

  • 1ª Leitura – (At 2,1-11)
  • Salmo – Salmo 103
  • 2ª Leitura – (1Cor 12,3b-7.12-13)
  • Evangelho – (Jo 20,19-23)

1ª Leitura

1Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam.

3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava.

5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. 6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua.

7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós, que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus em nossa própria língua!”

Salmo

— Enviai o vosso Espírito, Senhor,/ e da terra toda a face renovai!

 — Bendize, ó minha alma, ao Senhor!/ Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!/ Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras!/ Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

— Se tirais o seu respiro, elas perecem/ e voltam para o pó de onde vieram./ Enviais o vosso espírito e renascem/ e da terra toda a face renovais.

— Que a glória do Senhor perdure sempre,/ e alegre-se o Senhor em suas obras!/ Hoje seja-lhe agradável o meu canto,/ pois o Senhor é a minha grande alegria!

 2ª Leitura

Irmãos: 3bNinguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. 4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. 5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. 6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos.

7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. 12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo.

13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.

Evangelho

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. 20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.

21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

 

 

Deixe o seu comentário





[bws_google_captcha]

* campos obrigatórios.