Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

Festa da Natividade de Maria

 

mary

CONFIRA MAIS SOBRE O TEMPO COMUM (CLIQUE AQUI)

CONFIRA NOSSO FOLHETO DE MÚSICAS PRÓPRIAS ÀS SOLENIDADES, FESTAS E MEMÓRIAS DO TEMPO COMUM (CLIQUE AQUI)

  • Festa, Cor Branca , Gl, Prefácio Próprio
  • Ofício Festivo próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Mq 5,1-4a) ou (Rm 8,28-30) [escolhe-se uma delas, como primeira leitura]
  • Salmo – 70
  • Evangelho – (Mt 1,18-23)

 

INTROITOCelebremos com alegria o nascimento da virgem Maria: por ela nos veio o sol da justiça, Cristo nosso Deus.

COMUNHÃO: A virgem dará à luz um filho, e ele salvará seu povo do pecado.

A Festa da Natividade de Nossa Senhora, será celebrada nesta quinta-feira, 08/09, às 7:00 e às 19:30, na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

——————————————————————————————————————————————————-

Nas mais diversas denominações cristãs, os 4 livros principais são os Evangelhos canônicos, de Mateus, Marcos, Lucas e João. Este cânone foi composto pela Igreja Católica, após o 1º Concílio de Niceia, nos anos 300 d.c.

Muitos elementos da tradição do povo cristão, permaneceram, mesmo após a fixação dos evangelhos canônicos, ainda que não estivessem presentes nestes textos. Isso ocorreu, pois havia outros textos importantes para o cristianismo primitivo, denominados, atualmente, de textos ou Evangelhos apócrifos, isto é, não oficiais.

O Nascimento de Nossa Senhora é relatado em um dos mais antigos livros apócrifos, o Evangelho de Tiago (ou proto evangelho de Tiago). Os nomes de seus pais, a promessa de Deus e até seu casamento estão relatados neste texto, que data dos anos de 140 d.c. Importante relembrar que os próprios Evangelhos canônico não foram escritos durante a vida de Jesus, mas muitos anos após sua Páscoa, através da tradição transmitida pelos primeiros que conviveram com ele, sendo assim, muito do que reside em textos apócrifos contém um substrato factual, acerca da história. O Evangelho de São João, por exemplo, não foi escrito por João, mas por seguidores da comunidade fundada por ele.

apócrifo de Tiago

manuscritos do Evangelho Apócrifo de Tiago

Outro ponto de sustentação à tradição apócrifa é o forte apelo que o culto mariano exercia no século II d.c. Em uma população que migrava do paganismo ao cristianismo, muitos doutores sentiram a necessidade de evidenciar a real situação de Nossa Senhora, a Mãe de Deus, mas não uma deusa, como as antigas figuras do panteão romano e grego.

No Evangelho de Tiago, o autor se preocupa com esta questão, exibindo a linhagem de Maria, distanciando qualquer possibilidade de divinização daquela mulher, mas enaltecendo Maria como a grande mulher, símbolo da pureza da humanidade. Ao mesmo tempo em que a Igreja divulga que apenas Cristo é o Salvador, ela precisava assegurar a castidade da linhagem de Jesus Cristo, através de sua Mãe.

Além disso, a preocupação dos cristãos com a figura de Nossa Senhora remonta ao primeiro século, o mesmo período em que os primeiros evangelhos foram escritos. Desta época, há inscrições em cavernas com a figura da Theotokos, a Mãe de Deus. Evidenciando a preocupação dos primeiros padres da Igreja, com a linhagem santa de Maria.

A Festa da Natividade é celebrada desde o século V, em Jerusalém. Na época, era a Festa da Dedicação da Basílica de Sant’Ana, mãe de Nossa Senhora. No século VII, a festa passa a ser celebrada em Roma e torna-se data obrigatória do antigo calendário litúrgico tridentino, no século XIII.

A Festa do nascimento de Maria é decorrente da Solenidade da Imaculada Conceição, celebrada no ano anterior (9 meses antes). Uma antiga crença de que Maria teria sido concebida por uma Virgem, foi condenada pela Igreja e declarou-se que Maria fora preservada do pecado original, por graça divina. Este dogma é conhecido por Imaculada Concepção, celebrado em dezembro, no Tempo do Advento.

Outra liturgia relacionada ao Nascimento de Maria é sua Apresentação no Templo, memória celebrada no mês de novembro.

Liturgia

Nesta festividade, a cor litúrgica é branca, canta-se o Hino de Louvor e é rezado o prefácio próprio de Nossa Senhora. Há duas leituras inscritas no missal, mas indica-se a utilização de apenas uma, escolhida entre elas; há o salmo e o Evangelho.

Por Thiago – Cantinho da Liturgia

——————————————————————————————————————————————————-

  • Festa, Cor Branca , Gl, Prefácio Próprio
  • Ofício Festivo próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Mq 5,1-4a) ou (Rm 8,28-30) [escolhe-se uma delas, como primeira leitura]
  • Salmo – 70
  • Evangelho – (Mt 1,18-23)

 

INTROITOCelebremos com alegria o nascimento da virgem Maria: por ela nos veio o sol da justiça, Cristo nosso Deus.

COMUNHÃO: A virgem dará à luz um filho, e ele salvará seu povo do pecado.

Primeira Leitura 

Leitura do Livro do Profeta Miqueias.

Assim diz o Senhor: 1“Tu, Belém de Éfrata, pequenina entre os mil povoados de Judá, de ti há de sair aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade. 2Deus deixará seu povo ao abandono, até ao tempo em que uma mãe der à luz; e o resto de seus irmãos se voltará para os filhos de Israel. 3Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor e com a majestade do nome do Senhor seu Deus; os homens viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até aos confins da terra, 4ae ele mesmo será a Paz”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

 

Ou (deve-se escolher uma das leituras)

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos, 28sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados para a salvação, de acordo com o projeto de Deus. 29Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos. 30E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos; e aos que tornou justos, também os glorificou.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

— Exulto de alegria no Senhor.

 — Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo: para vós o meu louvor eternamente!

— Uma vez que confiei no vosso amor, meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Evangelho 

 R. ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA.

V. Sois feliz, virgem Maria, e mereceis todo louvor; pois de vós se levantou o sol brilhante da justiça, que é Cristo, nosso Deus, pelo qual nós fomos salvos!  R.

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.

19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.