Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

Festa da Dedicação da Basílica de Latrão

qr

CONFIRA MAIS SOBRE O TEMPO COMUM (CLIQUE AQUI)

CONFIRA NOSSO FOLHETO DE MÚSICAS PRÓPRIAS ÀS SOLENIDADES, FESTAS E MEMÓRIAS DO TEMPO COMUM (CLIQUE AQUI)

  • Festa, Cor Branca , Gl, Creio, Prefácio de Dedicação de uma Igreja
  • Ofício Festivo próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Ez 47, 1-2.8-9.12) ou (1Cor 3,9c-11.16-17) [pode ser feita apenas uma delas ou ambas podem ser lidas, como 1ª e 2ª leituras]
  • Salmo – Salmo 45
  • Evangelho – (Jo 2, 13-22)

INTROITO: Eu vi a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, ornada como a noiva que se preparou para o seu noivo (Ap 21,2)

COMUNHÃO: Como pedras vivas, formai um templo espiritual, um sacerdócio santo (1Pd 2,5).

CELEBRAMOS A FESTA DE DEDICAÇÃO DA BASÍLICA DE LATRÃO NESTA QUARTA-FEIRA, 09/11, ÀS 7:00 E ÀS 19:30, NA PARÓQUIA NOSSA SENHORA AUXILIADORA.

———————————————————————————————————————

Roma, assim como todas as dioceses do mundo, possui uma catedral, o coração daquela diocese. Muitos turistas diriam que sua catedral é a basílica de São Pedro, mas isso não é verdade! A principal igreja romana é a Basílica de Latrão, catedral daquela cidade.

Logo no início do cristianismo, os apóstolos costumavam celebrar a eucaristia nas casas dos cristãos, em torno da qual se reunia a comunidade local. Um espaço reservado era adornado e servia ao culto primitivo do que viria a se tornar a celebração da Eucaristia, a Liturgia da Missa.

No século II, os templos passaram a ser dedicados apenas ao serviço religioso. Para este momento, elaboraram uma liturgia solene, que é seguida hoje, com algumas mudanças com o passar do tempo. Este momento é a inauguração da sede daquela comunidade, que vivenciará sua fé no templo dedicado.

Neste rito de dedicação de um templo, ocorre a aspersão, a colocação das relíquias do santo (em cujo nome será dedicada a igreja), o ascendimento das luzes e a unção do altar com o óleo crismal. Ao fim, a festa é coroada com a sagrada Eucaristia, uma missa comemorativa e muito festiva.

A solenidade de dedicação da Basílica de Latrão ocorreu no dia 9 de novembro, do ano de 324 d.c , presidida pelo Papa Silvestre I. Indicando que este aniversário é mais do que milenar!

A basílica foi colocada sob proteção de São João Batista, durante a idade média. Antes mesmo do cristianismo,no fim da antiguidade, o terreno havia pertencido ao clã dos Lateranos, patrícios romanos. Daqui vem o nome da basílica, em honra a São João de Latrão.

Liturgia e Dedicação de um Templo

Neste dia, celebra-se a dedicação do mais importante templo católico do mundo, por isso a festa é de obrigatória observação, em todo o mundo. Mesmo que ocorra em um domingo, de tão importante, a Festa de Dedicação da Basílica de Latrão substitui a liturgia do dia. A cor litúrgica é a branca, canta-se o Hino de Louvor com alegria; há duas leituras, o salmo e o Evangelho inscritos para esta data, permitindo-se, em caso de necessidade, omitir uma das leituras, quando a Festa não ocorrer em um domingo. O Credo é obrigatório sempre o Prefácio da Dedicação de uma Igreja é rezado na oração eucarística. As antífonas (ou cânticos substitutivos) devem estar de acordo com esta celebração, evocando a ideia de que a Igreja é o corpo de Cristo e que seus membros formam um sacerdócio da realeza, conforme a nação celeste celebra Cristo diretamente, através de seus santos e anjos.

A Festa de Dedicação da Basílica de Latrão é uma das 4 maiores Festas do Tempo Comum, ao lado da Festa da Apresentação de Jesus (02/02), Festa da Transfiguração de Jesus (06/08) e Festa da Exaltação da Santa Cruz (14/09).

Nota-se, aqui, uma aproximação do tema desta celebração com outras celebrações deste mês de Novembro. De fato, celebramos Todos os Santos no dia 1/11, recordando as virtudes que Cristo traça, além da profecia do Apocalipse, no qual o autor vê a descida da cidade santa, no momento em que Cristo retornar, em sua Parusia.

A Parusia é um tema recorrente no mês de novembro, com a chegada do encerramento do ano litúrgico. Logo mais, no domingo 22/11, celebraremos a Solenidade de Cristo Rei, celebração central de sua Parusia e fim dos tempos. Ainda no próximo domingo comum (15/11), o Evangelho tratará dos sinais de seu segundo Advento.

Por falar em Advento, no último domingo de Novembro, já no início do novo ano litúrgico, com o Ciclo do Natal, a Parusia será relacionada à sua primeira vinda, o Natal.

A Festa de Dedicação de uma Igreja está associada à Páscoa. O Evangelho de hoje também é utilizado no 3º Domingo da Quaresma, no ano B. A comunidade joanina, autora do Evangelho que leva o nome do apóstolo amado,  faz uma ligação fundamental entre ‘ser Igreja’ e o ‘Corpo de Cristo’.

Muito além de nossos templos físicos, a Igreja é o Corpo de Cristo, unificado na celebração ininterrupta da eucaristia diária. Isto reafirma o maior presente deixado por Jesus, depois dos mistérios maiores (Encarnação e Ressurreição): sua presença eucarística.

Em contrapartida, Jesus deixa algo em nós: tornamo-nos parte dele, ao comungarmos de coração. Por isso, celebrar a Dedicação de um Templo é celebrar aquele os membros do corpo místico de Cristo: a Igreja, isto é, nós, batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Assim a Dedicação de um templo é o aniversário de uma comunidade, por isso o rito de sacralização do altar é, muitas vezes, feito antes do término da obra de um templo, pois as comunidades já existem.

Em geral, a maior festa para uma comunidade é a celebração de seu padroeiro, sendo uma data de solenidade local. Após esta data, o dia mais importante, a nível local, deve ser o dia do aniversário daquela comunidade, o dia em que o altar foi sacramentado e dedicado.

Em Campinas, por exemplo, a Solenidade da Imaculada Conceição é a data mais importante para a arquidiocese (após, é claro, as datas mais solenes do ano, como o Natal e a Páscoa). Posteriormente, o dia da dedicação da Catedral Metropolitana de Campinas (28/10) é o aniversário de toda a diocese. Muitas vezes, o dia da dedicação coincide com o dia do padroeiro, sendo assim, escolhida outra data para celebrar-se a dedicação. Nossa paróquia, por exemplo, comemora sua dedicação em 29/10, como solenidade.

Liturgias relacionadas à Diocese Central : Roma

A maior festa que celebramos para recordar a Diocese primaz do mundo, é a Solenidade de São Pedro e São Paulo (último domingo do mês de junho). Depois, a maior festa é a Dedicação da Basílica de Latrão. Há, porém, outras festas e memórias menos conhecidas, relacionadas a este propósito, confira:

  • Solenidade dos Santos Padroeiros de Roma – São Pedro e São Paulo (último domingo de junho)prop
  • Festa de Dedicação da Basílica de Latrão – sede da Arquidiocese de Roma (9/11)Cátedra de Latrão
  • Festa da Cátedra de São Pedro – trono apostólico – (22/02)
  • Memória da Dedicação da Basílica de São Pedro e São Paulo (20/11)
  • Festa da Conversão de São Paulo (25/01)
  • Memória da Dedicação da Basílica de Santa Maria Maior (05/08)

Por Thiago – Cantinho da Liturgia

———————————————————————————————————————

  • Festa, Cor Branca , Gl, Creio, Prefácio de Dedicação de uma Igreja
  • Ofício Festivo próprio
  • Tempo Comum
  • 1ª Leitura – (Ez 47, 1-2.8-9.12) ou (1Cor 3,9c-11.16-17) [pode ser feita apenas uma delas ou ambas podem ser lidas, como 1ª e 2ª leituras]
  • Salmo – Salmo 45
  • Evangelho – (Jo 2, 13-22)

PRIMEIRA LEITURA 

Leitura do Livro de Ezequiel

Naqueles dias: 1O homem fez-me voltar até a entrada do Templo e eis que saía água da sua parte subterrâneana direção leste, porque o Templo estava voltado para o oriente; a água corria do lado direito do Templo, a sul do altar.2Ele fez-me sair pela porta que dá para o norte, e fez-me dar uma volta por fora, até à porta que dá para o leste, onde eu vi a água jorrando do lado direito. 8Então ele me disse: “Estas águas correm para a região oriental,
descem para o vale do Jordão,desembocam nas águas salgadas do mar, e elas se tornarão saudáveis. 9Onde o rio chegar, todos os animais que ali se movem poderão viver. Haverá peixes em quantidade,pois ali desembocam as águas que trazem saúde; e haverá vida onde chegar o rio. 12Nas margens junto ao rio, de ambos os lados, crescerá toda espécie de árvores frutíferas;suas folhas não murcharão e seus frutos jamais se acabarão: cada mês darão novos frutos, pois as águas que banham as árvores saem do santuário. Seus frutos servirão de alimento e suas folhas serão remédio”.

— Palavra do Senhor
— Graças a Deus!

OU

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios

Irmãos: 9cVós sois construção de Deus. 10Segundo a graça que Deus me deu, eu coloquei – como experiente mestre de obra – o alicerce, sobre o qual outros se põem a construir. Mas cada qual veja bem como está construindo. 11De fato, ninguém pode colocar outro alicerce diferente do que está aí, já colocado: Jesus Cristo. 16Acaso não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós? 17Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá, pois o santuário de Deus é santo, e vós sois esse santuário.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 Responsório

— Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.

— Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.

— O Senhor para nós é refúgio e vigor, sempre pronto, mostrou-se um socorro na angústia;
assim não tememos, se a terra estremece, se os montes desabam, caindo nos mares.

— Os braços de um rio vêm trazer alegria  à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.
Quem a pode abalar? Deus está no seu meio! Já bem antes da aurora, ele vem ajudá-la.

—  Conosco está o Senhor do universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó! Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus e a obra estupenda que fez no universo: reprime as guerras na face da terra.

EVANGELHO

R. ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA.

V. Esta casa eu escolhi e santifiquei, para nela estar meu nome para sempre.:R

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

13Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. 14No Templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. 15Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. 16E disse aos que vendiam pombas: “Tirai isto daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!” 17Seus discípulos lembraram-se, mais tarde, que a Escritura diz: “O zelo por tua casa me consumirá”. 18Então os judeus perguntaram a Jesus: “Que sinal nos mostras para agir assim?” 19Ele respondeu: “Destruí, este Templo, e em três dias o levantarei”.20Os judeus disseram: “Quarenta e seis anos foram precisos para a construção deste santuário e tu o levantarás em três dias?” 21Mas Jesus estava falando do Templo do seu corpo. 22Quando Jesus ressuscitou, os discípulos lembraram-se do que ele tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra dele.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.