Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

Espaço Valdocco 7 – Um sonho que é memória e profecia.

 

No texto do Espaço Valdocco da semana passada (“Um sonho que ficou gravado profundamente impresso na mente”), pudemos conhecer o famoso sonho dos nove anos de Dom Bosco, que marcou a sua vida e a sua missão a partir de então.

Nas Memórias do Oratório de São Francisco de Sales*, Dom Bosco concluiu a narração do sonho contando a reação de seus familiares na manhã seguinte. As interpretações foram diversas, mas Dom Bosco confessa que ficou com a opinião de sua avó: “não se deve fazer caso dos sonhos”. Por outro lado, disse também que “nunca pôde tirar aquele sonho de sua cabeça”.

De fato, aquele sonho se repetiu nos anos seguintes, até 1845. O contexto era o mesmo, porém iam novos elementos surgiam para responder às sucessivas situações de vida de Dom Bosco.

Segundo nos informa as Memórias Biográficas (grande obra literária, composta por 19 volumes, escrita por salesianos da primeira e da segunda geração para contar a história da vida de Dom Bosco e da origem da Congregação Salesiana), Dom Bosco teve este sonho oito vezes:

1. 1825 (9/10 anos) – MB I, 115-118
2. 1831 (16 anos) – MB I, 207-208
3. 1834 (19 anos) – MB I, 254
4. 1836 (21 anos) – MB I, 342, 344
5. 1844 (29 anos) – MB II, 191-192
6. 1845 (30 anos) – MB II 229-231
7. 1845 (30 anos) – MB II, 161-162
8. 1886 (71 anos) – MB XVIII, 71-72**

O esclarecimento definitivo sobre o sentido deste sonho acontecera em 15 de maio de 1887. Ao celebrar a missa na Basílica do Sagrado Coração, em Roma, Dom Bosco não consegue conter a sua emoção, chegando a interromper quinze vezes a celebração, por causa do choro que não conseguia segurar. No fim, tiveram que praticamente carregá-lo à sacristia. O Pe. Carlos Viglietti, salesiano que o acompanhava, perguntou depois o motivo de tanta emoção. Dom Bosco lhe respondeu: “Tinha vivo ante os meus olhos a cena de quando sonhei aos 10 anos. Via e ouvia realmente a minha mãe e os meus irmãos opinarem sobre o sonho”. De fato, cumpriu-se aquilo que a Senhora havia dito no mesmo sonho: “A seu tempo, tudo compreenderás”. Dom Bosco havia chegado ao fim da missão que Deus havia lhe confiado. Valera a pena os muitos sacrifícios e o trabalho a para salvação de tantos rapazes.

O Beato Filipe Rinaldi, terceiro sucessor de Dom Bosco, em uma carta circular de 1924, escreveu para os salesianos sobre o sonho dos nove anos: “Toda a sua vida [de Dom Bosco] lhe foi mostrada como um espelho, por um enigma (1Cor 13, 12), no espelho da fé e na obscuridade do enigma […] mas para nós ele não é mais um enigma no espelho, mas uma luz poderosa que ilumina e conforta no caminho que por chamamento divino devemos percorrer […] Este sonho, pois, é cheio de sabedoria para nós e recorda como Dom Bosco o praticou com a maior diligência, obtendo efeitos surpreendentes com os meios julgados impossíveis”.

O próprio Pe. Filipe Rinaldi, em outra carta circular – também de 1924***, concluiu que o sonho dos nove anos é o programa de ação de Dom Bosco e da Família Salesiana.

É assim também que o Pe. Pascual Chavez Villanueva, nono sucessor de Dom Bosco e atual Reitor-Mor da Congregação Salesiana, se refere ao sonho dos nove anos, quando em 2008 sugeriu para toda a Família Salesiana uma Estreia com o tema “Eduquemos com o coração de Dom Bosco”. Para o Pe. Pascual Chavez, o sonho dos nove anos está “nas origens do que somos e do que fazemos. Um ‘sonho’ que é memória e profecia, recordação do passado e projeção do futuro”. ****

Na semana que vem, continuaremos a falar deste importante momento da vida de Dom Bosco, com a interpretação do significado dos elementos essenciais do sonho para a sua futura missão entre os jovens.
* JOÃO BOSCO, São, 1815-1888. Memórias do Oratório de São Francisco de Sales, 1815-1855; tradução Fausto Santa Catarina; 3ª ed., revista e ampliada aos cuidados de Antônio da Silva Ferreira. São Paulo: Editora Salesiana, 2005.
** LEAL, Fernando Peraza. Iniciación al estúdio de Don Bosco. 5ª ed. Quito: Centro Salesiano de Formación Permanente, 2010.
*** Ambas as cartas são citadas por FERREIRA, Antônio da Silva. Acima e além: os sonhos de Dom Bosco. São Paulo: Editora Salesiana, 2010, p. 18.
**** VILLANUEVA, Pascual Chavez. Estreia 2008: Eduquemos com o coração de Dom Bosco. São Paulo: Editora Salesiana, 2008, p. 65.

 

TEXTO: Pe. Glauco Félix Teixeira Landim, SDB
e-mail: glauco.bsp@salesianos.com.br – Facebook: www.facebook.com/glaucosdb

ADAPTAÇÃO E LOCUÇÃO: Domingos Sávio

Deixe o seu comentário





[bws_google_captcha]

* campos obrigatórios.