Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria
Sem categoria › 17/11/2015

Casal brasileiro a caminho da beatificação

dr1hpk1lbsbz4zwuk6cr2yyefSão Luís Martin e Santa Célia Guerin, os pais de Santa Teresinha, formam o primeiro casal que sobe aos altares na mesma cerimônia de canonização.

Mas eles não são os únicos a chegarem juntos à santidade. Também não serão os últimos…

O próximo casal a ser beatificado numa mesmo cerimônia pode ser formado por dois brasileiros.

Há alguns meses foi aberto o processo da causa de beatificação dos Servos de Deus Jerônimo de Castro Abreu Magalhães e Zélia Pedreira Abreu Magalhães.

Eles eram ricos fazendeiros do Brasil, no século XIX, numa época em que no país ainda havia a escravidão.

Paulo Vilotta, postulador da causa de beatificação de Jerônimo e Zélia afirma que “Eles tratavam os escravos como pessoas que trabalhavam para eles. Não importava ao casal trata-los apenas como trabalhadores, com empregados, mas todos ali formavam todos uma grande família.

A prova disso foi que depois de promulgada a lei de libertação dos escravos, nenhum deles quis ir embora da fazenda”.

A bem da verdade, na Fazenda Santa Fé, que era a extensa propriedade do casal, a escravidão já havia sido abolida há muito tempo. Todos que nela trabalhavam recebiam salário.

Era Zélia quem ocupava-se de dar catequese aos escravos e também a ajudá-los em suas necessidades. E ela contou sempre com o essencial apoio e a ajuda de seu marido.

Jeronimo era um prestigioso engenheiro do Rio de Janeiro. Ele ofereceu seu talento para a realização de numerosas obras sociais da Igreja.

O Postulador da causa de beatificação lembra que Jerônimo “Construiu casas e capelas para as paróquias da zona em que vivia e nunca cobrava por seu trabalho.

O casal, enfatiza o postulador, “São duas figuras que se completam. Podemos considera-los um modelo de vida individual e também como modelo de vida familiar”: eles caminharam juntos nas vias da santificação, auxiliando-se mutuamente a se tornarem “perfeitos como o Pai é perfeito”.

Jerônimo e Zélia tiveram 13 filhos. Quatro deles morreram ainda recém-nascidos. Todos os outros nove filhos entraram para vida religiosa.

Zélia também tornou-se religiosa.

Após a morte de seu marido Jerônimo, Zélia vendeu todos seus bens colocando todo o produto das vendas a serviço dos mais necessitados.

E, logo a seguir, entrou para um convento.

Tanto Jerônimo quanto Zélia faleceram com fama de santidade.

Ainda são muito lembrados os exemplos que eles deixaram de caridade e bondade. E recorda-se, também com frequência, a dedicação que tinham na transmissão do Evangelho, tanto para os filhos como para os escravos de sua fazenda.

Por Gaudium Press, com RomeReports