Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

ASCENSÃO do Senhor Jesus Cristo

Ascensão

  • 1ª Leitura – (At 1,1-11)
  • Salmo – Salmo 46
  • 2ª Leitura – (Ef 1,17-23)
  • Evangelho – (Mc 16,15-20)

Chegando ao fim de nossa caminhada no Tempo Pascal, hoje celebramos a Solenidade da Ascensão do Senhor Jesus. Retomamos nossa reflexão dominical com o Evangelho de São Marcos, devido ao ano litúrgico em que estamos, o ano B. Nele, Jesus deixa uma última ordem a seus amigos apóstolos:  “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! “.

A ordem do Senhor é que os apóstolos tenham a fome missionária que moveu os primórdios do cristianismo. Este foi o tema da Campanha da Fraternidade de 2015, em um esforço da CNBB em seguir o apelo do Papa Francisco, para a igreja retomar às origens, ter apelo entre as classes menos favorecidas, como foram os apóstolos, em sua difícil tarefa de espalhar o Evangelho pelo mundo romano pagão.

Com a Ascensão do Senhor, faltará apenas mais um passo para que a Igreja caminhe pelas pernas dos apóstolos, isto é, a partir da ida de Cristo aos céus, a Igreja será conduzida pelos homens que receberam de Jesus os ensinamentos de Deus. A Igreja Católica Apostólica Romana é o resultado dos esforços daqueles homens, em manter o cumprimento dos mandamentos de Jesus, daí o adjetivo “Apostólica”, devido a sua fundação, pelos próprios apóstolos e sua tradição adquirida através deles. O próximo passo será Pentecostes.

A Ascensão do Senhor é, junto de Pentecostes, a conclusão do Ciclo da Páscoa e de todo o mistério de nossa salvação, iniciado com o Natal, ápice do mistério da Encarnação do Senhor e passando pela Páscoa, ápice do mistério da Ressurreição e de toda nossa fé. Sua partida foi necessária, pois, uma vez estando ao lado do Pai, Eles enviaram seu Espírito Santo para guiar a Igreja, na ausência de sua presença constante, como foi durante seu ministério. Após o Pentecostes, a igreja caminhará, definitivamente, através dos homens e mulheres que professaram a fé em Cristo, todos guiados pelo Espírito Santo. Na realidade, Ascensão e Pentecostes são dois momentos unidos que, dentro da liturgia, são celebrados em domingos consecutivos, mas representam um só momento, pois um está ligado ao outro. O Cristo ressuscitado ascende aos céus e envia seu Espírito Santo aos seus amigos e a todos os seres do mundo.

Interessante notar o paralelo entre o Tempo do Natal e da Páscoa, também recorrente em suas respectivas conclusões. No Natal, encerramos o mistério da Encarnação com a Grande Solenidade da Epifania, a maior solenidade após o Natal e o Tríduo Pascal. Epifania é a manifestação de Cristo Rei às nações, seu prolongamento é a Festa do Batismo de Jesus, celebrada no domingo seguinte, encerrando definitivamente o Natal. Aqui, celebramos a Solenidade da Ascensão como conclusão da Páscoa, em um momento em que Jesus é coroado Senhor de todo o universo, pois agora governa a criação, ao lado do Pai, ou seja, uma manifestação, novamente, de sua realeza, como na Epifania. Pentecostes é a vinda definitiva do Espírito Santo a nós, ensaiada em vários momentos, com sua presença sobre Jesus, especialmente no Batismo de Jesus. Se, no Batismo de Jesus, Cristo inicia seu ministério, com a benção do Espírito Santo, no Pentecostes, a Igreja inicia seu ministério, com a benção da mesma Pessoa da Santíssima Trindade. Importante ressaltar que ainda teremos mais uma semana do Tempo Pascal, entre este fim de semana da Ascensão (17/05) e Pentecostes (24/05), que é a 7ª Semana da Páscoa.

 

A Solenidade da Ascensão e a Solenidade de Pentecostes são, após o Tríduo Pascal , o Natal e a Epifania; as maiores liturgias de todo o ano, maiores que os domingos da Páscoa, da Quaresma e do Advento e maiores que as Solenidades do Tempo Comum (Corpus Christi, Coração de Jesus, Cristo Rei e Santíssima Trindade). Nesta data (Ascensão) pode-se utilizar a cor dourada, como na Páscoa e no Natal. Há sempre a 1ª Leitura, Salmo, 2ª Leitura e Evangelho, bem como o Prefácio Eucarístico próprio da Ascensão do Senhor. O Hino de Louvor e a Aclamação ao Evangelho (Aleluia) devem ser cantados de modo vibrante e solene.

As missas solenes da Ascensão serão celebradas no dia 16/05, às 17:00 e no dia 17/05, às 7:00 , 8:30 , 10:30 e 19:00 , na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

No sábado, 16/05, celebramos o 3º Dia da Novena de Nossa Senhora Auxiliadora. No domingo, 17/05, em todos os horários de missa, celebramos o 4º Dia da Novena.

Por Thiago – Cantinho da Liturgia – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

—————————————————————————————————————————————————————–

  • 1ª Leitura – (At 1,1-11)
  • Salmo – Salmo 46
  • 2ª Leitura – (Ef 1,17-23)
  • Evangelho – (Mc 16,15-20)

1ª Leitura

1No meu primeiro livro, ó Teófilo, já tratei de tudo o que Jesus fez e ensinou, desde o começo, 2até o dia em que foi levado para o céu, depois de ter dado instruções pelo Espírito Santo, aos apóstolos que tinha escolhido. 3Foi a eles que Jesus se mostrou vivo, depois da sua paixão, com numerosas provas. Durante quarenta dias, apareceu-lhes falando do Reino de Deus.

4Durante uma refeição, deu-lhes esta ordem: “Não vos afasteis de Jerusalém, mas esperai a realização da promessa do Pai, da qual vós me ouvistes falar: 5’João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias’”.

6Então os que estavam reunidos perguntaram a Jesus: “Senhor, é agora que vais restaurar o Reino de Israel?”

7Jesus respondeu: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com a sua própria autoridade. 8Mas recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria, e até os confins da terra”. 9Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu, à vista deles. Uma nuvem o encobriu, de forma que seus olhos não podiam mais vê-lo.

10Os apóstolos continuavam olhando para o céu, enquanto Jesus subia. Apareceram então dois homens vestidos de branco, 11que lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus que vos foi levado para o céu virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu”.

Salmo

— Por entre aclamações Deus se elevou,/ o Senhor subiu ao toque da trombeta.

 — Povos todos do universo, batei palmas,/ gritai a Deus aclamações de alegria!/ Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo,/ o soberano que domina toda a terra.

— Por entre aclamações Deus se elevou,/ o Senhor subiu ao toque da trombeta./ Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa,/ salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

— Porque Deus é o grande Rei de toda a terra,/ ao som da harpa acompanhai os seus louvores!/ Deus reina sobre todas as nações,/ está sentado no seu trono glorioso.

2ª Leitura

Irmãos: 17O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos, 19e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente.

20Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus,21bem acima de toda a autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa nomear, não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro.

22Sim, ele pôs tudo sob seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a Cabeça da Igreja, 23que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal.

Evangelho

Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos, 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado.

17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”.

19Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus.

20Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam.

 

 

Deixe o seu comentário





[bws_google_captcha]

* campos obrigatórios.