Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria

Memória de São José Operário

prop

  • 1ª Leitura – (Gn 1,26–2,3) ou (Cl 3,14-15.17.23-24)
  • Salmo – 89
  • Evangelho – (Mt 13,54-58)

A Memória de São José Operário é uma outra data litúrgica, para São José, esposo da Virgem Maria. Trata-se de uma memória litúrgica, em que celebramos todos os trabalhadores do mundo, protegidos pelo pai adotivo de Jesus Cristo. No dia 1º de Maio, o calendário civil dedica a memória aos operários mortos durante uma greve, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, no ano de 1886.

À época, o sistema capitalista não admitia direitos trabalhistas e expunha os trabalhadores a um regime desumano, sem quaisquer condições mínimas e baixíssimos salários. Diante desta situação, milhares de trabalhadores organizaram-se em uma greve, exigindo melhores condições. A polícia da cidade reprimiu, violentamente, as manifestações e provocou mortes entre os trabalhadores.

A data , marcada por este momento triste, tornou-se como símbolo da luta de todos que trabalham, por condições e salários dignos, em todo o mundo. Com a crise de 1929, muitos governos do mundo adotaram novas políticas econômicas e fixaram direitos trabalhistas, a partir das ideias do economista John Maynard Keynes e de medidas adotadas nos Estados Unidos, visando o combate à desigualdade e à pobreza, programa que ficou conhecido como New Deal.

Em 1955, o Papa Pio XII instituiu a data do 1º de Maio, como a memória litúrgica de São José Operário, padroeiro das famílias e dos trabalhadores, que sustentam, com seu suor, suas famílias. Apesar de já ser comemorada a Solenidade de São José, no dia 19 de março, durante a Quaresma, a memória litúrgica desta data amplia as comemorações a São José, como ocorre com Nossa Senhora, para a qual há diversas solenidades, festas e memórias, durante o ano litúrgico.

Esta liturgia não é celebrada, se ocorrer em um domingo, pois os domingos do Tempo Pascal possuem precedência sobre quaisquer memórias dos santos. Apesar de ser uma memória litúrgica, quando ocorrer fora dos domingos, ela substitui as leituras das férias do Tempo Pascal, como no caso de hoje. A cor litúrgica é o branco, mas não se canta o Hino de Louvor (salvo em cerimônias especiais). O prefácio eucarístico pode ser o prefácio de São José ou o prefácio do Tempo da Páscoa.

São José é o modelo do trabalhador, que não cansa de doar-se pela família, trazendo o pão de cada dia, fruto do trabalho da humanidade. Ele acolheu Jesus Cristo, que, mais tarde, sempre esteve ao lado dos marginalizados e dos pobres, evidenciando a proposta do Reino de Deus aos homens, em que existe fraternidade e igualdade. Aliás, Jesus Cristo viveu em uma família operária e, segundo fontes dos primeiros cristãos, teria exercido a mesma profissão de seu pai adotivo, antes de seu ministério celeste. Estando Jesus junto aos trabalhadores, Deus se faz como um deles. A Igreja imita Jesus, convergindo às reivindicações dos trabalhadores, ao celebrarmos São José Operário, no dia 1º de Maio.

As missas de São José Operário serão celebradas às 7:00 e às 19:30, nesta sexta, 1/05, na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

—————————————————————————————————————————————————————–

  • 1ª Leitura – (Gn 1,26–2,3) ou (Cl 3,14-15.17.23-24)
  • Salmo – 89
  • Evangelho – (Mt 13,54-58)

1ª Leitura

26Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”.

27E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou. 28E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”. 29E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra, e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. 30E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra e que é animado de vida, eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez. 31E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia. 2,1E assim foram concluídos o céu e a terra com todo o seu exército. 2No sétimo dia, Deus considerou acabada toda a obra que tinha feito; e no sétimo dia descansou de toda a obra que fizera. 3Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, porque nesse dia descansou de toda a obra da criação.

Ou (escolhe-se uma das leituras)

 14Irmãos, acima de tudo, amai-vos uns aos outros, pois o amor é o vínculo da perfeição. 15Que a paz de Cristo reine em vossos corações, à qual fostes chamados como membros de um só corpo. E sede agradecidos. 17Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo. Por meio dele dai graças a Deus, o Pai.23Tudo o que fizerdes, fazei-o de coração, como para o Senhor e não para os homens. 24Pois vós bem sabeis que recebereis do Senhor a herança como recompensa. Servi a Cristo, o Senhor.

 Salmo

— Ó Senhor, fazei dar frutos o labor de nossas mãos!

 — Já bem antes que as montanhas fossem feitas ou a terra e o mundo se formassem, desde sempre e para sempre vós sois Deus.

— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos!

— Saciai-nos de manhã com vosso amor, e exultaremos de alegria todo o dia! Manifestai a vossa obra a vossos servos, e a seus filhos revelai a vossa glória!

Evangelho

Naquele tempo, 54dirigindo-se para a sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que ficavam admirados. E diziam: “De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres? 55Não é ele o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? 56E suas irmãs não moram conosco? Então, de onde lhe vem tudo isso?” 57E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus, porém, disse: “Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!” 58E Jesus não fez ali muitos milagres, porque eles não tinham fé.

Deixe o seu comentário





[bws_google_captcha]

* campos obrigatórios.