Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330, - Campinas, SP

(19) 3241-9713 | 3242-0899    (19) 99132-4922

contato@auxiliadoracampinas.org.br

Secretaria
Sem categoria › 11/11/2015

1º Fórum Científico Pequeninos do Senhor

bannerA Agência de Notícias Zenit entrevistou a Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor, Rachel Lemos Abdalla, que entregou recentemente (22/10/2015) às mãos de Dom Airton José dos Santos, o Relatório Científico resultante do 1º Fórum Científico Pequeninos do Senhor que teve como tema: “Pequeninos do Senhor evangeliza crianças na primeira infância durante as missas nos finais de semana. Isso pode gerar dicotomia?”.

Confira a entrevista completa abaixo, e conheça mais do projeto de evangelização de crianças durante a Santa Missa:

***

Zenit: Qual foi o motivo que provocou esse 1º Fórum Científico Pequeninos do Senhor?

Rachel L. Abdalla: Muitos padres, bispos, catequistas e pais costumam dizer que não gostam de “tirar” as crianças da missa. Para eles, essa atitude desfoca o motivo pelo qual a família vai à Igreja, e acreditam que a criança vai crescer sem compreender que a Missa é um compromisso semanal com Deus. Porém, isso é um mito! Inicialmente, podemos partir do princípio doutrinal que a criança, antes da sua iniciação catequética sacramental não tem a necessidade de ir à Missa, portanto, todo trabalho desenvolvido com ela, que a conduza ao Sagrado é muito pertinente, principalmente nessa faixa etária da primeira infância. E, para desmistificar esse mito, ou seja essa preocupação, nós convidamos profissionais das áreas da psicologia, da pedagogia, da medicina e sacerdotes que desenvolvem atividades com crianças para discutirem essa questão com base científica.

Z: Cite alguns comentários relevantes no Fórum, no que diz respeito ao Rito Litúrgico e à evangelização lúdica dos pequeninos.

Rachel: Dentre as várias observações apresentadas no 1º Fórum Pequeninos do Senhor, que resultou um Relatório Científico, encontra-se a colocação do Pe. José Arlindo de Nadai, Pároco da Paróquia Divino Salvador, em Campinas, onde tem a Pastoral Pequeninos do Senhor implantada há 6 anos. Para ele, “o Rito Litúrgico na sua linguagem é absolutamente inadequado para a criança na primeira infância, e não existe nenhuma dicotomia na proposta da Pastoral Pequeninos do Senhor”. Ele ainda complementa que “essa pedagogia do Pequeninos do Senhor é uma sabedoria muito grande para atender adequadamente a faixa de idade evolutiva da criança”. A forma como o Rito é celebrado, não corrobora para a formação e o desenvolvimento das virtudes e valores cristãos da criança e nem, tampouco, promove o seu encontro com a pessoa de Jesus Cristo pois, a riqueza e a complexidade da sua simbologia, até para o adulto, não permite a sua real compreensão. Portanto, a presença da criança numa Celebração Eucarística é a mesma se estivesse assistindo a uma aula numa Universidade, pois os seus níveis de compreensão auditiva, visual, intuitiva e cognitiva na primeira infância não alcançam a grandiosidade da dimensão do Rito Litúrgico.

Z: Como a Pastoral Pequeninos do Senhor participa desse processo catequético-litúrgico da criança?

Rachel: A Pastoral Pequeninos do Senhor está a serviço da evangelização das crianças na primeira infância, e se preocupa com esse acolhimento para a educação e iniciação catequética-litúrgica delas dentro da Igreja, durante as Missas. Por isso, a diretoria da Associação Pequeninos do Senhor estuda e desenvolve, continuamente, um material catequético-litúrgico focado na formação do catequista, de modo que favoreça o seu crescimento espiritual e doutrinal, e o prepare para evangelizar os pequeninos. Além disso, se preocupa também com a ludicidade que deve haver nos encontros semanais com as crianças, abrindo os caminhos para levá-las ao encontro da pessoa de Jesus Cristo por meio do Evangelho contado na linguagem delas, enfocando as virtudes e os valores cristãos que elas conhecerão e levarão para o resto da vida.

Z: Qual o parecer dos profissionais, no que diz respeito à ação evangelizadora da Pastoral Pequeninos do Senhor?

Rachel: “A proposta do Pequeninos do Senhor prepara a criança para participar da Missa no seu tempo cognitivo adequado”, disse a Psicopedagoga, Debora Corigliano. Conforme a colocação da psicóloga Patrícia Gugliotta Jacobucci, “crianças que vão à Missa e ficam com seus familiares não é garantia de que, quando se tornarem adultos, serão pertencentes à Igreja. O que garante isso é a experiência com Deus que cada um tem, teve e terá ao longo da caminhada. A primeira infância é o período onde ocorre a formação da personalidade, mas também o desenvolvimento intelectual por meio dos sentidos e das descobertas do mundo. Tudo o que a criança aprender nesta etapa de sua vida, ela levará para toda a sua caminhada.” Segundo a Doutora em Educação, Rosely Palermo Brenelli, “o projeto Pequeninos do Senhor é voltado para atender as necessidades da criança dessa faixa etária, sendo mais apropriado do que a participação em um rito cuja compreensão está muito além do que permite seu sistema cognitivo. Desse modo, naturalmente a criança experimenta o Sagrado no seu universo lúdico.”

Z: Qual é a experiência da Pastoral Pequeninos do Senhor na vida da Igreja?

Rachel: A experiência de 18 anos da Pastoral Pequeninos do Senhor mostra que as crianças de 03 a 07 anos que vão à Missa com seus pais e são acolhidas por catequistas para ouvirem o Evangelho na linguagem própria delas, ou seja, de modo lúdico, desenvolvem uma percepção do bem muito rapidamente e tornam-se mais resilientes e obedientes; e os pais dizem que elas não se incomodam e nem questionam a ida à Missa todos os finais de semana, ao contrário, elas querem muito ir à missa para participarem da Pastoral. Ali, as crianças são inseridas dentro de um espaço adequado a elas dentro da Igreja, encaminhadas pelos seus pais e acolhidas pelos catequistas com muito amor. Hoje, muitos jovens que tiveram sua iniciação no Pequeninos do Senhor testemunham a sua fé, sendo cristãos ativos e responsáveis no mundo, de modo consciente e forte, sabendo que são diferentes dos muitos jovens sem fé e sem esperança que se encontram na sociedade.

Z: O que dizem os jovens de hoje que foram pequeninos da Pastoral?

Rachel: A psicóloga Georgia Lemos Abdalla (23 anos), uma das pequeninas do primeiro grupo de crianças da Pastoral, em 1997, disse: “Eu tive a oportunidade de, desde pequenininha, ser inserida na Comunidade Cristã de modo lúdico, de uma forma que eu entendia a mensagem do Evangelho, e aprendi a ser uma cristã autêntica. Tanto na escola como na Faculdade eu percebia uma grande diferença que havia entre os meus colegas e eu, no quesito espiritualidade, visão de mundo, esperança, fé, confiança… Eu era diferente da grande maioria. Meus valores sempre foram voltados para o humano, para a solidariedade, para o respeito ao próximo, para o amor, para o SER, e não para o TER. Pequeninos do Senhor foi o primeiro passo que meus pais me ensinaram para a minha caminhada de fé.”

A Paola Frattini Colla (16 anos) disse: “No Pequeninos do Senhor além de conhecer Jesus eu fiz amizade com crianças que têm valores cristãos, e isso dá uma visão muito grande da diferença que existe entre os amigos do Pequeninos do Senhor e os amigos de fora. Não só na questão de valores, mas aquilo que é importante para nós, o modo como crescemos e a nossa curiosidade de continuar na Igreja, continuar conhecendo Jesus, que são coisas que jovens da nossa idade normalmente não têm. É muito mais difícil você levar um jovem do que uma criança para a Igreja, por isso o Pequeninos do Senhor foi tão importante pra mim.”

E a Anna Clara Luiz (16 anos) complementou: “No Pequeninos do Senhor eu comecei a conhecer Jesus e tive uma introdução sobre o que é a Missa e o Evangelho. Lá eu tive a minha primeira experiência com Jesus e aprendi o que Ele pode fazer na minha vida, e estou agora numa caminhada muito grande com Ele.”

Z: Qual foi a conclusão do 1º Fórum Científico Pequeninos do Senhor?

Rachel: O Presidente do Fórum, Mons. João Luiz Fávero, Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Dores e Diretor Espiritual do Pequeninos do Senhor, ressaltou que “esse serviço de evangelização dos pequeninos não acarreta nenhum prejuízo à criança que dele participa”. E complementou: “nós não ‘tiramos’ a criança da Missa, mas, sim, oferecemos a ela um espaço adequado para o seu crescimento e, nisso, estamos aproximando-a da Comunidade e favorecendo, também, o trabalho com a família na continuidade dos valores”.

Para mim, o 1º Fórum Científico vem solidificar, consolidar e confirmar a intenção primeira da Associação Pequeninos do Senhor, que é levar os pequeninos até Jesus, semeando a Palavra e o Amor de Deus no coração deles para que cresçam fortes na fé e sejam, na sociedade, no futuro, exemplo de cidadãos justos, e autênticos cristãos solidários com o próximo e responsáveis com a obra e a criação de Deus. Tudo isso de modo lúdico, brincando e caminhando de mãos dadas com Jesus que um dia foi também pequenino.

Após ler esta entrevista, conheça mais do Projeto de Evangelização Pequeninos do Senhor no site: www.pequeninosdosenhor.org.

Por Zenit