Mensagem do Pároco › 18/12/2014

“Um menino nasceu para nós” (Is 9,5)

“Deus enviou o seu filho ao mundo não para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele” (Jo 3,17).“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14).

1520lui4Uma palavra, um verbo nos ajuda a aprofundar o sentido do mistério do Filho de Deus feito homem que a Boa notícia dos Evangelhos nos comunicam: é o verbo ENGENDRAR, que possue no Aurélio as seguintes caracterizações: vem do verbo latino ingenerare, significando o ato de gerar, produzir, dar origem. Tem, também, o sentido de inventar, imaginar, engenhar, criar algo novo. O verbo latino é ainda mais eloquente. Trata-se de penetrar, interferir, somar-se a alguma coisa, somar-se ao gens, ao fator generador de um ser e incorporá-lo, tornar-se uma coisa só, um único ser.

No que se refere ao Filho de Deus feito homem, ao Filho que Deus engendrou, entendemos que a Palavra de Deus, a semente, o sêmen de Deus foi plantado no útero de uma humanidade virginal e pura, sadia e fecunda, acolhedora do novo e do divino. O divino se misturou ao humano e às gerações da humanidade e se tornou gerador de uma nova humanidade. No nascimento do Filho de Deus feito homem, uma nova humanidade nasceu.

Olhar para os acontecimentos que envolvem o nascimento do menino dado à luz na gruta de Belém é para nós uma atitude de suma importância. E para não termos olhares equivocados ou envolvidos apenas por aquela emoção cheia de ternura ao contemplarmos uma criança recém-nascida, precisamos do auxílio das Sagradas Escrituras, a Palavra de Deus geradora da fé, que nos leva a encontrar, contemplar e adorar nesta criança o Filho de Deus feito homem e acolhê-lo como o Salvador prometido desde a origem da humanidade e que de esperança em esperança, Deus o Pai de amor e misericórdia conduziu ao encontro de Jesus, o realizador de todas as expectativas do coração humano, para esta vida e para a eternidade.

É missão da Igreja e de toda a comunidade cristã portadoras desta fé, anunciar ao mundo o mistério de Jesus Cristo, o Deus feito homem e no natal, o seu nascimento entre nós. O natal cristão ou natal de Jesus Cristo Salvador do mundo, deve ser divulgado por toda a Terra, a todas as pessoas, em todos os tempos e gerações. Foi este o objetivo dos Evangelhos da Infância e da Evangelização realizada pela Igreja desde a sua origem.
Como os anjos de Belém, como os magos e pastores o adoraram, preparemos o nosso coração para acolhê-lo como num presépio vivo, enfim, ele se agregou, se engendrou e se uniu a cada um de nós em sua humanidade portadora de sua divindade.
Nossa melhor forma de adorá-lo, de reconhecê-lo nosso Deus e nosso rei, rei dos corações, é anuncia-lo, é torná-lo conhecido, é conduzir tantos corações a amá-lo e servi-lo, como resposta ao tão grande amor de Deus que “amou tanto o mundo que nos enviou o seu próprio Filho para que o mundo seja salvo por ele” (Jo 3,13).

No rosto humano de Deus descubramos os traços divinos de cada um de nós e que em Jesus somos todos irmãos!

Um santo e feliz natal para todos!
P. Ademar Pereira de Souza

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.