Festa do Batismo do Senhor Jesus Cristo

O Dia do Natal é só o começo, a festa natalina continua até 9 de janeiro, com o Batismo de Jesus!

Clique Aqui e veja o Folheto Musical de Natal!

  • Festivo, Cor Branca, Prefácio do Batismo (ou da Epifania)
  • Ofício da festa
  • Tempo do Natal
  • 1ª Leitura – (1Jo 4,19–5,4)
  • Responsório – Salmo 71
  • 2ª Leitura  – (At 10,34-38)
  • Evangelho – (Mt 3,13-17)

Introito: Batizado o Senhor, os céus se abriram e o Espírito Santo pairou sobre ele sob a forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho muito amado, nele está todo o meu amor, aleluia! (Mt 3,16s).

Oração: Deus eterno e todo-poderoso, que, sendo Cristo batizado no Jordão e pairando sobre ele o Espírito Santo, o declarastes solenemente vosso Filho, concedei aos vossos filhos adotivos, renascidos da água e do Espírito Santo, perseverar constantemente em vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Comunhão: Eis aquele de quem João dizia: Eu via dei testemunho de que este é o Filho de Deus, aleluia! (Jo1,32.34).

Esta missa será celebrada na segunda-feira, 9 de janeiro, às 7h e às 19h30min, na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

—————————————————————————————————————————————–

Com esta festividade, encerramos o Tempo e o Ciclo do Natal. Neste ano litúrgico, o Natal ocorreu em um domingo, por isso, de acordo com a liturgia vigente, o Batismo de Jesus é transferido para a segunda-feira logo após a Epifania, celebrada sempre no domingo, aqui no Brasil. O Tempo Comum terá início na terça-feira, 10 de janeiro.

Nossa caminhada de fé anual só está começando. Concluímos as celebrações diretas do mistério da Encarnação, Nascimento e Manifestação de Jesus Cristo, centralizados no NATAL do Senhor, mas iniciados com sua preparação, o Advento, e prolongados, com o Tempo do Natal.

Mas a encarnação de Cristo é um dos pilares de nossa fé, portanto celebraremos seu NATAL em todos os dias do ano litúrgico, concomitantemente à sua PÁSCOA. De fato, o mistério pascal, a missa diária, é a renovação constante do plano de salvação da humanidade. Este plano é composto pela Encarnação de Deus, seu Nascimento, Manifestação, Paixão e Morte, Ressurreição e Ascensão. É isto que professamos, é isso que nos é apresentado quando o sacerdote diz, no ato de Consagração da Eucaristia: “Eis o Mistério da Fé”.

A primeira grande manifestação de Jesus ocorreu na visita dos Reis Magos ao menino, na EPIFANIA. Em sua segunda manifestação (também conhecida por segunda Epifania), Jesus é revelado como pessoa da Santíssima Trindade, colocado no mesmo nível do Pai e do Espírito Santo, Ademais, é nesta mesma ocasião que Cristo iniciará seu ministério, o qual durará pelos próximos 3 anos de sua vida, culminando com sua Paixão e Morte de Cruz.

Além disso, nesta ocasião, o seu batismo, Jesus quer se integrar aos homens. De fato, Jesus não precisa ser batizado, pois nele não há pecado, mas ele insiste com João, a fim de manifestar-se semelhante aos homens, embora também seja Deus.

Assim, Jesus mostra suas duas naturezas: Divina e Humana.

A partir de terça-feira, 10/01, começa o Tempo Comum, que irá até a terça-feira da 8ª Semana Comum (28/02/2017), véspera das Cinzas, quando iniciamos a Quaresma. Antigamente, o Tempo Comum era dividido entre o período após a Epifania (pertencendo ao Ciclo do Natal) e ao período após Pentecostes (pertencendo ao Ciclo da Páscoa). Assim, no período posterior à Epifania, a liturgia concentrava-se nos primeiros passos de Jesus, nos primeiros ensinamentos, milagres e curas, ecoando toda a promessa iniciada no Natal.

Não há mais esta divisão no calendário litúrgico, mas as liturgias dos primeiros domingos comuns permanecem as mesmas, ecoando os frutos do mistério do Natal. No próximo domingo, veremos o episódio considerado como a terceira Epifania de Jesus: o milagre nas Bodas de Caná. O primeiro milagre de Jesus aos seus apóstolos e sua mãe, Maria.

Por Thiago – Cantinho da Liturgia

—————————————————————————————————————————————–
Primeira Leitura

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Assim fala o Senhor: 1”Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações.

2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas. 3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas promoverá o julgamento para obter a verdade. 4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos.

6Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações, 7para abrires os olhos dos cegos, tirares os cativos da prisão, livrares do cárcere os que vivem nas trevas”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório

— Que o Senhor abençoe, com a paz o seu povo!

— Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

— Filhos de Deus, tributai ao Senhor,/ tributai-lhe glória e poder!/ Dai-lhe a glória devida ao seu nome;/ adorai-o com santo ornamento!

— Eis a voz do Senhor sobre as águas,/ sua voz sobre as águas imensas!/ Eis a voz do Senhor com poder!/ Eis a voz do Senhor majestosa!

— Sua voz no trovão reboando!/ No seu templo os fiéis bradam: “Glória!”/ É o Senhor que domina os dilúvios,/ o Senhor reinará para sempre!

2ª Leitura

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias, 34Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença.

36Deus enviou sua palavra aos israelitas e lhes anunciou a Boa-nova da paz, por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos.

37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João:38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio; porque Deus estava com ele”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho

R: Aleluia! Aleluia! Aleluia!

V:. Abriram-se os céus e fez-se ouvir a voz do Pai: Eis meu filho muito amado; escutai-o, todos vós!

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

Glória a vós, Senhor.

 

Naquele tempo, 13Jesus veio da Galileia para o rio Jordão, a fim de se encontrar com João e ser batizado por ele. 14Mas João protestou, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”

15Jesus, porém, respondeu-lhe: “Por enquanto deixa como está, porque nós devemos cumprir toda a justiça!” E João concordou. 16Depois de ser batizado, Jesus saiu logo da água. Então o céu se abriu e Jesus viu o Espírito de Deus, descendo como pomba e vindo pousar sobre ele.

17E do céu veio uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus o meu agrado”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.