Espaço valdocco › 24/11/2015

Espaço Valdocco 72 – A Construção do Grande Santuário Sonhado

Em outubro de 1844 Dom Bosco teve um sonho, assim descrito por ele mesmo no livro “Memórias do Oratório de São Francisco de Sales”: “A pastorinha me convidou a olhar para o meio-dia. Olhando, vi um campo, no qual fora semeado zaburro, batata, couve, beterraba, alface e muitas outras hortaliças. “Olha outra vez” disse-me; e olhei de novo. Então vi uma estupenda e alta igreja. Uma orquestra, uma música instrumental e vocal me convidavam a cantar missa. No interior daquela igreja havia uma faixa branca em que estava escrito: Aqui é minha casa, daqui sairá a minha glória”.

Desde então Dom Bosco não mais deixou de pensar naquele sonho, tentando entendê-lo. Mas foi apenas em 1862, 18 anos depois, que ele chegou à seguinte conclusão: “A nossa igreja atual é demasiado pequena; não cabem nela todos os jovens. Por isso, fabricaremos uma outra mais bela, maior, que seja magnífica. Dar-lhe-emos o título de igreja de Maria Santíssima Auxiliadora. Eu não tenho um dinheiro e nem sei onde buscá-lo; isso, porém, não importa. Se Deus quiser, a igreja se fará”.

Mas porquê igreja de Maria Santíssima Auxiliadora? Dom Bosco assim explicava: “A ‘Madonna’ quer que a honremos sob o título de Maria Auxiliadora pois os tempos correm tão tristes que temos, deveras, necessidade de que a Virgem Santíssima nos ajude a conservar e defender a fé cristã. Será a ‘igreja mãe’ da nossa futura Congregação e o centro do qual emanarão todas as outras obras a favor da juventude”.

Obtida a licença para construir, Dom Bosco deu ordem ao ecônomo, Pe. Sávio, para iniciar os serviços de escavações. Pe. Sávio assim respondeu: “Mas como faremos? Não se trata de uma capela, mas de uma igreja muito grande e muito custosa. Esta manhã não tivemos em casa dinheiro para pagar o selo das cartas a serem expedidas”.

Começa o serviço de escavações – respondeu-lhe Dom Bosco. É preciso deixar algo à Divina Providência.

Ao mestre-de-obras Dom Bosco tirou do bolso a carteira, abriu-a e deixou cair em suas mãos tudo o que ele tinha: oito soldos, menos de meia lira. E acrescentou: “Fica tranquilo. Nossa Senhora pensará ela em fazer aparecer o dinheiro necessário”.

Após dezenas de doações, campanhas e festas, o santuário de Maria Auxiliadora foi consagrado em 09 de junho de 1868, 24 anos após o sonho profético de sua construção.

ADAPTAÇÃO E LOCUÇÃO: Domingos Sávio