Espaço valdocco › 17/11/2015

Espaço Valdocco 65 – O milagre das Hóstias Consagradas

Os biógrafos contam que em 1848, durante uma Missa celebrada em homenagem à Festa da Anunciação, Dom Bosco reuniu várias centenas de jovens que estavam prontos para fazer a Comunhão. Dom Bosco celebrou a Missa convicto de que no tabernáculo houvesse uma âmbula cheia de hóstias consagradas. Mas, pelo contrário, ela estava praticamente vazia. Nela havia apenas 8 partículas. Um jovem, Giuseppe Buzzetti, que mais tarde seria um dos primeiros sacerdotes salesianos, tinha-se esquecido de preparar outra âmbula, disso só se lembrando depois da consagração, isto é, irremediavelmente tarde.

Dom Bosco, quando 360 jovens começaram a apinhar-se ao redor da mesa eucarística para receber a Comunhão, verificou, penalizado, que deveria fazê-los todos voltarem aos seus lugares pois não haveria hóstia consagrada para todos. Porém, não podendo resignar-se, começou a distribuir aquelas pouquíssimas hóstias que estavam no fundo da âmbula.

E eis que, com grande espanto seu e do pobre Giuseppe Buzzetti, que segurava a patena, as hóstias não diminuíram. Deram o suficiente para todos os 360 jovens. Giuseppe Buzzetti, quando viu Dom Bosco multiplicar as hóstias e dar a comunhão a todos os jovens, passou mal com tanta emoção.

Foi Giuseppe Buzzetti, assombrado, que contou o fato aos colegas. Ainda em 1864 o tornou a relatar aos primeiros salesianos. Dom Bosco, presente e com rosto sério, confirmou o dito, dizendo: “Sim, vi que eram poucas partículas na âmbula e, não obstante, pude dar a Comunhão a todos aqueles que se apresentaram à sagrada mesa. E não eram poucos. Estava comovido, mas tranquilo. Pensava: é um milagre maior o da consagração do que o da multiplicação. Mas, por tudo seja bendito o Senhor”.

ADAPTAÇÃO E LOCUÇÃO: Domingos Sávio